quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

O que é Microcefalia?


Microcefalia é uma condição neurológica rara em que a cabeça e o cérebro da criança é significativamente menor do que a de outras da mesma idade e sexo. A microcefalia normalmente é diagnosticada no início da vida e é resultado do cérebro não crescer o suficiente durante a gestação ou após o nascimento.
Crianças com microcefalia têm problemas de desenvolvimento. Não há uma cura definitiva para a microcefalia, mas tratamentos realizados desde os primeiros anos melhoram o desenvolvimento e qualidade de vida. A microcefalia pode ser causada por uma série de problemas genéticos ou ambientais.

Causas

Microcefalia é o resultado do crescimento abaixo do normal do cérebro da criança ainda no útero ou na infância. A microcefalia pode ser genética. Algumas outras causas da microcefalia são:
  • Malformações do sistema nervoso central
  • Diminuição do oxigênio para o cérebro fetal: algumas complicações na gravidez ou parto podem diminuir a oxigenação para o cérebro do bebê
  • Exposição a drogas, álcool e certos produtos químicos na gravidez
  • Desnutrição grave na gestação
  • Fenilcetonúria materna
  • Rubéola congênita na gravidez
  • Toxoplasmose congênita na gravidez
  • Infecção congênita por citomegalovírus.
Doenças genéticas que causam a microcefalia podem ser:
A microcefalia normalmente é detectada nos primeiros exames após o nascimento em um check-up regular. Contudo, caso você suspeite que a cabeça de seu bebê é menor do que a de outros da mesma idade ou não está crescendo como deveria, fale com seu médico.
O Ministério da Saúde confirmou recentemente a relação entre o Zika vírus e o surto de casos de microcefalia no nordeste do país em 2015. A febre zika, ou simplesmente zika vírus, é uma infecção causada pelo vírus ZIKV, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da dengue e da febre chikungunya. Por se tratar de algo novo, não descrito anteriormente na literatura médica, ainda não se sabe exatamente como funciona a relação entre os problemas.
De acordo com o Ministério da Saúde, as investigações sobre microcefalia e o Zika vírus devem continuar para esclarecer questões como a transmissão desse agente, a sua atuação no organismo humano, a infecção do feto e período de maior vulnerabilidade para a gestante. Em análise inicial, o risco está associado aos primeiros três meses de gravidez.

 diagnóstico e exames

Buscando ajuda médica

A microcefalia normalmente é detectada pelo médico nos primeiros exames após o nascimento em um check-up regular. Contudo, caso você suspeite que a cabeça de seu bebê é menor do que a de outros da mesma idade ou não está crescendo como deveria, fale com seu médico.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar uma microcefalia são:
  • Clínico geral
  • Pediatra
  • Neurologista
  • Neurologista infantil.
Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico da microcefalia. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:
  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.
O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:
  • Você consumiu algum medicamento na gestação?
  • Você teve alguma doença na gestação?
  • Você fez uso de álcool, cigarro ou outras drogas na gestação?
  • Desde quando você notou a diferença no tamanho da cabeça da criança?.
Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Para microcefalia, algumas perguntas básicas incluem:
  • Qual é a causa mais provável da microcefalia?
  • Meu filho precisa de quaisquer testes adicionais? Se assim for, estes testes requerem qualquer preparação especial?
  • Quais são os tratamentos disponíveis para a microcefalia?
  • Qual você acha que é o mais indicado o meu filho?
  • Caso tenha mais filhos, quais os riscos de eles terem microcefalia?
  • Há algum folheto, site ou outros materiais nos quais consiga mais informações sobre microcefalia?.
Não hesite em fazer outras perguntas sobre microcefalia, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Microcefalia

A microcefalia é diagnosticada por meio do acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança. O médico irá colocar uma fita métrica em torno da cabeça e medir seu tamanho. Esta medida e também o tamanho da criança serão feitas durante os primeiros anos de vida e comparadas com uma tabela padronizada a fim de determinar se a criança tem microcefalia.
O médico também pode solicitar exames como: tomografia computadorizada da cabeça, ressonância magnética e exames de sangue para ajudar a determinar a causa da microcefalia.

 tratamento e cuidados

Tratamento de Microcefalia

Não há tratamento medicamentoso para a microcefalia que possa ser capaz de fazer a cabeça da criança voltar ao normal. É orientado realizar terapias para melhorar as habilidades da criança, como a fala. Portanto, o médico poderá recomendar a fisioterapia, terapia ocupacional e outras formas de tratamentos orientadas.

 convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

O diagnóstico de microcefalia pode despertar nos pais uma série de emoções, como medo, preocupação, tristeza e culpa. Portanto é importante buscar:
  • Ajuda de uma equipe profissional de confiança: Procure médicos, professores e terapeutas em que confia
  • Apoio de outras famílias que lidam com a mesma situação. Você pode buscar esse apoio em sua comunidade ou pela internet.

Complicações possíveis

A criança com microcefalia pode apresentar:
  • Déficit intelectual
  • Atraso nas funções motoras e de fala
  • Distorções faciais
  • Nanismo ou baixa estatura
  • Hiperatividade
  • Epilepsia
  • Dificuldades de coordenação e equilíbrio
  • Alterações neurológicas.
Algumas crianças com microcefalia podem não apresentar problemas de aprendizado.

 prevenção

Prevenção

Se a causa da microcefalia for genética é possível preveni-la. Por isso é importante fazer o aconselhamento genético antes de engravidar.
Além disso, a melhor forma de se prevenir não só a microcefalia, mas diversas outras condições de saúde, é a realização do pré-natal durante a gravidez.
Dentre as recomendações médicas para prevenir a microcefalia também estão:
Não ingerir álcool durante a gravidez: o consumo de álcool predispõe o bebê a diversas doenças, como Síndrome do Alcoolismo Fetal e microcefalia.
Não utilizar medicamentos sem a orientação médica: alguns medicamentos podem interferir na formação fetal, inclusive causando uma má formação do cérebro como a microcefalia. É importante que a gestante não tome nenhum tipo de medicamento sem orientação médica.
Evitar contato com pessoas com febre ou infecções: qualquer infecção pode dar alguma alteração no desenvolvimento do feto, desde uma rubéola e citomegalovírus, até a dengue, febre zika e febre chikungunya. Por isso é importante evitar a exposição geral a doenças.
Proteger-se da picada dos mosquitos: como há a possibilidade da microcefalia ser causada pelo vírus zika, que por sua vez é transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti - além das complicações já sabidas nos casos de dengue, por exemplo - uma das recomendações do Ministério da Saúde é evitar se expor ao mosquito. O que pode ser feito eliminando os criadouros dele, ou seja, retirar recipientes que tenham água parada e cobrir adequadamente locais de armazenamento, além do uso de repelentes indicados para gestantes.

 fontes e referências

  • Texto revisado pela Profa. Dra. Marilisa M. Guerreiro, neurologista, Professora Titular da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Chefe da Disciplina de Neurologia Infantil Departamento de Neurologia – FCM – Unicamp. CRM: 40662/SP
  • Clínica Mayo, Instituto Nacional de Doenças Neurológicas e Derrames dos Estados Unidos.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

COMO EU PERDI 10KG EM 20 DIAS



segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Dieta Ravena


A Dieta Ravenna voltou a ficar em evidência depois que a presidente Dilma Rousseff apareceu 13 kg mais magra no começo de 2015. Muita gente se perguntou o que ela teria feito para conseguir enxugar os quilos a mais que antes possuía.
Vamos falar um pouco mais sobre a dieta Ravenna e você terá um cardápio completo para ver exatamente como funciona.

O que é? 

Mais do que simplesmente uma dieta, a Ravenna é um procedimento que promove a perda de peso baseando-se nos seguintes fatores: a ingestão reduzida de calorias – quem segue o método deve consumir somente de 800 a 1200 calorias diariamente -, o acompanhamento nutricional, psicológico e médico, a prática monitorada de exercícios físicos e a participação em grupos de terapia.
A dieta Ravenna foi criada na década de 1990 pelo médico e psicanalista argentino Máximo Ravenna, que afirma já ter tratado mais de 50 mil pacientes em todo o mundo e que busca promover uma relação saudável das pessoas com a comida por meio de seu trabalho.
De acordo com o site do médico, o procedimento é indicado para pessoas a partir de cinco anos de idade, que sofram de qualquer grau de obesidade, estejam com sobrepeso ou desejem melhorar o estado de sua saúde.
No Brasil existem três centros terapêuticos do método Ravenna, nas cidades de Brasília, Salvador e São Paulo.

Como funciona? 

Na prática, a dieta Ravenna é composta por três medidas: o corte, a medida e a distância. Na primeira fase, que é a de corte, a pessoa elimina de sua vida hábitos como o excesso no consumo de comida, o exagero no tamanho das porções e o costume de se alimentar toda hora.
Já na medida, o que ocorre é a identificação de qual deve ser o tamanho das porções dos pratos do paciente e quanto ele deve diminuir as suas medidas corporais. Por sua vez, a distância consiste em determinar qual deve ser a duração do intervalo entre uma refeição e outra e definir de quais comidas a pessoa deve manter-se longe, por causarem compulsão alimentar.
Durante o processo, cada paciente recebe a elaboração de um plano alimentar diário de baixas calorias, que traz quatro refeições diariamente. Esse programa ainda agrega a inclusão de suplementos de vitaminas, sais minerais e aminoácidos à dieta.
Uma vez que atingiu o peso ideal, o paciente inicia a etapa da manutenção do corpo adquirido e passa por uma etapa de reconhecimento de sua nova imagem corporal.
A expectativa de perda de peso com a dieta Ravenna é de 7 a 10% dos quilos que tinha antes de começar a trabalhar com a técnica para os homens e de 5 a 7% para as mulheres no primeiro mês de método.

Cardápio completo da dieta Ravenna 

O cardápio da dieta Ravenna inclui quatro refeições: café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar. Ele não elimina completamente nenhum grupo alimentar e é composto por sais minerais, vitaminas, proteínas, gorduras e até mesmo carboidratos.
No entanto, os carboidratos simples, provenientes de farinha e açúcares refinados como pães, massas, bolos e doces industrializados, não são permitidos no cardápio da dieta Ravenna. Estes alimentos possuem um índice glicêmico alto, o que quer dizer que eles são absorvidos de maneira muito rápida pelo nosso organismo, causando picos e quedas bruscas nos níveis de açúcar no sangue. Esse efeito resulta em um aumento do apetite.
Outras comidas que não aparecem no cardápio da dieta Ravenna são os queijos amarelos e frituras. Porém, eles são aceitados de volta à rotina depois que o paciente alcançar o peso desejado, para verificar como anda a sua relação com esses alimentos e se ele terá algum comportamento relacionado à comilança exagerada ou compulsão alimentar.
Já os itens que recebem maior destaque são os ricos em fibras, com baixo índice glicêmico, as frutas cítricas, os termogênicos (que aceleram o metabolismo e deixam a queima de gorduras mais eficiente) e as proteínas magras como peixe e frango.
O intervalo entre uma refeição e outra na dieta Ravenna pode ser de três a seis horas, valor que pode variar de pessoa para pessoa. Confira abaixo alguns modelos de cardápio completo de um dia do método, mas não se esqueça que cada exemplo foi preparado de acordo com as necessidades e características de cada paciente e não existe um plano da dieta Ravenna que se aplique a todas as pessoas:

Exemplo 1

Café da manhã:
  • 1 sachê de capuccino light (a dieta permite um por dia, no café da manhã ou lanche da tarde);
  • 1 ovo inteiro mexido com 30 g de mussarela light ralada.
Almoço:
  • Caldo de couve-flor com manjericão;
  • Prato de 90 g de salada com três tipos diferentes de vegetais crus ou cozidos;
  • 1 porção de proteínas, que pode ser 100 g de carne vermelha, 120 g de frango, 120 g de camarão, 150 g de peixe branco ou 100 g de salmão com 60 g de sopa de vegetais. Dica: a carne deve ser pesada quando ainda estiver crua, antes de ir para o fogão;
  • Gelatina diet ou ½ porção de fruta como sobremesa.
Lanche da tarde:
  • ½ banana-da-terra, com duas fatias de queijo mussarela light e canela no micro-ondas oufrozen de iogurte sem açúcar com 1 colher de sopa de frutas em pedaços.
Jantar:
  • Igual ao almoço.

Exemplo 2

Café da manhã:
  • 1 pote de 200 ml de iogurte desnatado com adoçante sucralose ou stévia;
  • 1 pires de chá de fruta picada (pode ser melão, morango ou pera, por exemplo).
Almoço:
  • 1 cumbuca pequena de sopa de abóbora com brócolis;
  • 1 prato raso de salada de alface, rúcula e agrião: Tempero: 1 fio de azeite de oliva extravirgem, 1 pitada de sal e vinagre a gosto;
  • 1 filé médio de carne magra;
  • 1 colher de servir de arroz integral;
  • 1 banana-prata com canela e 1 café expresso de sobremesa.
Lanche da tarde:
  • 2 torradas de abóbora sem glúten e sem açúcar;
  • 1 queijo tipo Polenghi.
Jantar:
  • 1 cumbuca pequena de sopa de vegetais (pode ser de vagem, cenoura, chuchu e aipo);
  • 1 prato raso de salada de tomate em rodelas e alface a gosto. Tempero: 1 fio de azeite extravirgem, 1 pitada de sal e vinagre a gosto;
  • 1 pires de chá de picadinhos de frango com pimentão e batata;
  • 1 tigela de gelatina diet e 1 xícara de chá branco para a sobremesa.

Os suplementos

A suplementação pode ser necessária aos adeptos da dieta Ravenna por conta da baixa ingestão calórica que ela promove, o que pode trazer deficiências nutricionais ao organismo do paciente. Cada pessoa recebe a receita de um tipo de produto e a dosagem pode variar conforme a evolução do processo de perda de peso.

Será que um teor diário de calorias tão baixo não traz problemas à saúde?

Como mencionamos acima, a taxa de calorias ingeridas por alguém que segue esse método de emagrecimento fica entre 800 e 1200 calorias diariamente. Porém, o mais comum é que esse número fique na casa das 800 calorias.
Esse valor é tão baixo porque quando o organismo consome um teor reduzido de calorias, em vez de queimar glicose para produzir energia, o metabolismo utiliza as gorduras.
Entretanto, esse processo pode trazer efeitos negativos ao corpo como a produção de corpos cetônicos, que quando encontrados em altas quantidades podem prejudicar as células humanas. Mesmo que Ravenna forneça mais do que apenas proteínas e gorduras, o que faz com que a quantia dessa substância negativa no organismo seja reduzida, é importante levar em consideração que a Organização Mundial da Saúde (OMS) não considera os métodos de emagrecimento que determinam a ingestão de menos de 1000 calorias diariamente saudáveis.
Ao fornecer tão poucas calorias ao corpo, a pessoa corre o risco de não oferecer a quantia completa de nutrientes que precisa para funcionar de modo saudável. No entanto, como o número de calorias consumidas no cardápio diário varia de paciente para paciente, que é determinado a partir de um cálculo que leva em consideração a necessidade energética do organismo, a chamada de Taxa Metabólica Basal (TMB), e o método estimula a suplementação de nutrientes, não é possível bater o martelo e determinar de maneira geral se a dieta Ravenna traz problemas à saúde ou não. Para fazer isso, seria necessário avaliar caso a caso.

Considerações finais 

Ravenna é um método amplo de perda de peso, que além da reeducação alimentar, traz uma abordagem mais ampla, levando em conta a questão psicológica, a prática de exercícios físicos e a saúde para promover o emagrecimento.
Além disso, cada pessoa tem o seu caso trabalhado individualmente, o que indica que cada paciente deve seguir um cardápio, que se diferencia dos outros, de acordo com as necessidades e características físicas e do organismo da pessoa.
É por isso que devemos ressaltar aqui que os exemplos de cardápios mostrados servem para dar uma base de como funciona a dieta, mas não são garantia de sucesso, tendo em vista que se aplicam a um paciente em especial, e não de maneira geral. Ainda é preciso lembrar que eles são um dos aspectos que fazem parte do método, que promete sucesso ao ser combinado com as outras abordagens que citamos acima.
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

terça-feira, 10 de março de 2015

Exercícios para Emagrecer e Tonificar os Músculos



Não é verdade que você precisa frequentar uma academia de ginástica para entrar em forma. É possível fazer uma rotina de exercícios em casa para emagrecer e tonificar os músculos muito simples. O ideal é que você pratique alguns exercícios em casa para tonificar os músculos, e outros exercícios aeróbicos para condicionar o seu corpo a queimar gordura como fonte de energia. A combinação de exercícios aeróbicos e exercícios anaeróbicos (fortalecimento muscular) é o ideal para emagrecer. E tudo isso, é claro, aliado a uma alimentação saudável.
Se você quer perder peso rápido, veja a seleção de exercícios em casa para emagrecer que separamos e escolha os que mais gostar. Mas lembre-se que você não deve fazer atividades físicas de maneira exagerada achando que irá dessa forma atingir seus objetivos mais rapidamente.
Para máximos resultados para emagrecer você pode fazer os exercícios em casa 6 vezes por semana, deixando um dia para descanso. Nesta rotina você pode fazer exercícios aeróbicos nos 6 dias e os anaeróbicos 3 vezes na semana. Se você não tem tempo ou não está com esse pique todo, pode fazer os exercícios em casa 3 vezes por semana apenas, fazendo os exercícios musculares antes de realizar os exercícios aeróbicos. Dessa forma, em 1 hora por dia, 3 vezes por semana, em sua própria casa, você já estará dando um grande passo no caminho para emagrecer de forma permanente.

- EXERCÍCIOS ANAERÓBICOS (Tonificar os Músculos)

1. Avançar as Pernas:

Pessoas que já realizaram o exercício denominado “agachamento” devem conseguir realizar esta atividade física sem maiores problemas, cujo objetivo consiste em melhorar a musculatura do quadríceps, ou seja, fazer com que as pernas e os glúteos fiquem durinhos. Veja como é fácil!
  1. Deixe uma das pernas dobradas na posição de 90 graus. A outra pode fica estendida para trás;
  2. A perna que ficou estendida precisa ser abaixada até o momento de tocar o joelho no chão. Faça o exercício com leveza para não se machucar.
  3. Na sequência se faz necessário forçar a musculatura da perna que se encontra na posição dobrada. Force para voltar à posição de início.
  4. Repita o exercício, alternado as pernas.
  5. Após algumas semanas praticando o exercício você vai ver como será fácil a execução. Caso a facilidade seja muito grande, então o indicado é fazer esta atividade com uso de pesos extras presos nas pernas ou segurando-os com as mãos mesmo.

2. Exercícios para Panturrilha

Conhecido por causa da facilidade de ser feito em casa. Use cinco minutos no dia e perceba uma grande diferença na musculatura da panturrilha. O exercício pode ser feito dentro ou fora da sua residência, desde que exista uma escada.
  1. Suba no degrau e fique de pé com uso apenas da ponta dos pés. Atenção! Não use os calcanhares como apoio.
  2. Agora sim, procure descer os calcanhares até ficar com limite de espaço mínimo entre os calcanhares e o chão.
  3. Na sequência, suba até o máximo que conseguir, ficando na ponta do pé.
  4. Faça sequências de sobe-e-desce com cada perna

3. Flexão de Braços

Outro tipo de exercício em casa para emagrecer e tonificar os músculos é a flexão de braços. Esse é um exercícios que trabalha os tríceps (parte de trás dos braços) e a musculatura do peitoral. Representa também uma maneira antiga de usar o peso do corpo para se exercitar. Quem tem problemas ao levantar e subir pode usar os joelhos para apoiar e diminuir a sobrecarga durante o exercício.
  1. Comece ao deitar com o corpo reto e a barriga à frente. Mantenha os pés paralelos à parte em que se encontra o quadril. Coloque as mãos na altura dos ombros e inicie o exercício.
  2. Abaixe até quase encostar o corpo no chão.
  3. Volte à posição de início.
  4. Depois de algum tempo você vai ver como será fácil fazer o exercício. Para modificar a carga procure praticar com as mãos mais próximas, ou um pé em cima do outro.

4. Tríceps no sofá (ou cadeira)

Com uso de um sofá, banco ou até uma cadeira é possível fazer tríceps sem maiores problemas. Assim como na flexão de braços, o ato de alterar a distância entre os braços diversifica a sobrecarga. Para aumentar a carga acrescente pesos sobre o colo. Este exercício ajuda a tonificar os músculos da parte de trás dos braços e parte do seu peitoral.
  1. Com cuidado procure apoiar as palmas das mãos no banco ou sofá. Faça o movimento com seu corpo esticado à frente, ou seja, de costas ao local no qual devem ficar os dedos;
  2. Levante os cotovelos e abaixe o corpo até quase encostar as nádegas no chão;
  3. Faça força com os braço e levante o corpo até à posição inicial.

5. Abdominais

Sem dúvidas é o mais popular entre os exercícios em casa para emagrecer. Exercícios abdominais não queimar gorduras mas ajudam a tonificar os músculos da região abdominal. Para ter a barriguinha em forma, você poder fazer esta atividade física de maneira diária, seja em poucas ou grandes quantidades, embora o excesso apenas se encontre recomendado às pessoas com experiência em abdominais. Procure realizar os três tipos indicados:
   Abdominal com o lado do corpo:
  1. Deite com o corpo de lado;
  2. Use leves movimentos de cima para baixo com a parte superior do corpo, usando o abdômen;
  3. Alterne os exercícios no lado esquerdo e direito do abdômen.
   Abdominal clássico com as costas para baixo:
  1. Deite com as costas viradas para baixo;
  2. Levante o corpo e force o abdômen para subir. A sua região lombar NÃO precisa sair do chão;
  3. Desça o tronco mas não deixe o abdômen relaxar.
   Abdominal reversa com as pernas para o alto:
  1. Deite o corpo com as costas para baixo;
  2. Levante as pernas e faça um movimento de pedalar tentando encostar os joelhos no seu peito, de forma alternada;
  3. Você pode deixar as mãos ao lado do corpo ou atrás da cabeça. Mas não puxe o pescoço.em movimentos alternados.

- EXERCÍCIOS AERÓBICOS (queimar calorias)

6. Caminhada na esteira

Caminhar ajuda não apenas a queimar calorias como também representa um dos melhores exercícios para o coração. Procure manter um bom ritmo de modo que sua pulsação fique mais elevada do que apenas um passeio no parque. Apenas tome cuidado com a segurança. Use sempre o calçado indicado e para deixar um pouco mais desafiador você pode experimentar usar a inclinação da esteira.

7. Corrida na esteira

Benéfico para diferentes partes do corpo. Sempre indicado não ultrapassar os limites do organismo. Requer cuidados semelhantes à caminhada, ou seja, calçado para corrida. Esse é considerado o exercícios em cada para emagrecer mais eficiente. Mas tome cuidado para não se distrair e cair da esteira.

8. Polichinelo

Quem é que nunca brincou de polichinelo quando criança? Por que não se divertir com brincadeiras infantis e emagrecer ao mesmo tempo? Sim, este é um exercício que pode ajudar bastante a queimar calorias e fazer você emagrecer rápido.
  1. Realize o exercício em local espaçoso;
  2. De pé, feche as duas pernas;
  3. Pule e abra as pernas. Quando pular procure bater uma mão com a outra quando ambas estiverem acima da cabeça;
  4. Agora faça o contrário, ou seja, feche as pernas e encoste as mãos nas pernas;
  5. Repita os procedimentos “B”, “C” e “D”.

9. Pular Corda

Outra atividade que lembra brincadeiras de criança. Esse é uma atividade que pode ser mais difícil do que parece. A maioria das pessoas consegue ficar um minuto pulando corda. Mas que tal ficar pelo menos 15 minutos fazendo isso. A dica aqui é você não descansar por mais de 15 segundos depois que cometer um erro e ter a corda batendo nas pernas. Isso vai ajudar a manter o ritmo, com a pulsação acelerada. Além queimar calorias, esse é um dos melhores exercícios em casa para tonificar os músculos das pernas e ganhar agilidade.

10. Bicicleta Ergométrica

Que tal queimar calorias em um exercício em casa sem impacto. Você pode pedalar mesmo se estiver muito acima do peso. É legal colocar uma carga que traga uma certa dificuldade para o exercício para ter mais resultados. Não adianta muito ficar na bicicleta ergométrica com uma carga muito fácil. Isso não irá produzir um efeito aeróbico para te ajudar a emagrecer.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Almondegas Dukan



Ingredientes


  • 500 gramas de carne (de sua preferência)
  • 1 gemas
  • ½ cebola picada em quadradinhos
  • ½ colher (es) de farelo de trigo
  • 1 colher (es) de farelo de aveia
  • Tempero a gosto
  • Sal a gosto      


  • Instruções 
    Preaqueça o forno a 180 °C
    1. Corte a carne em pedaços e triture em um triturador
    2. Em uma tigela misture todos os ingredientes com as mãos 
    3. Forme bolinhas com as mãos e coloque em uma forma coberta com papel vegetal
    4. Leve ao forno durante 15 minutos, gire as bolinhas para que possa dourar de ambos os lados e deixe por mais 10 minutos
    5. Estará pronto, você também pode adicionar molhos e salsas, fica uma delícia

  • quinta-feira, 22 de maio de 2014

    9 alimentos que dão energia


    Alguns alimentos, como açúcar e café, dão energia e animam, mas esse bem-estar é passageiro. Logo depois, a sensação de estafa piora. Para não cair nesta armadilha, confira algumas dicas :
    Cereais integrais: possuem carboidratos combinados com vitaminas e minerais que dão energia ao corpo. Inclua no cardápio arroz integral, aveia e quinua em flocos e prefira os pães e biscoitos na versão integral.
    Banana: A banana possui frutose (açúcar encontrado nas frutas), vitaminas e. É ainda fonte de triptofano, aminoácido que serve de matéria prima para a produção de serotonina, um neurotransmissor relacionado ao bem-estar e disposição. A banana passa ou a fruta amassada com quinua em flocos são ótimas opções de lanche para garantir disposição durante a tarde
    Maçã: Além de fonte de frutose, encontramos o ácido málico que ajuda na produção de energia. Use a maçã in natura, desidratada ou assada salpicada com canela.
    Amêndoas: Oleaginosa rica em proteínas e gorduras boas. Fácil de levar e de comer. Garante energia e disposição.
    Chá Verde: Opção para o café da manhã. Contém menos cafeína que o café, mas acelera o metabolismo e estimula o cérebro a funcionar mais rápido.
    Linhaça ou óleo de peixe: O omega-3, encontrado na linhaça, é um tipo de gordura que constitui o cérebro, por isso é importante no bom funcionamento da mente. Melhora também a circulação, ajudando na chegada de oxigênio no cérebro.
    Levedo de cerveja: Fonte de vitaminas do complexo B que participam de diversas reações no organismo, inclusive aquelas responsáveis pelo fornecimento de energia
    Mel: Fornece energia rápida para as células, já que é prontamente absorvido pela corrente sanguínea ao ser digerido. Mas, por ser calórico, deve ser consumido com moderação e é contra-indicado para diabéticos.
    Açaí: O açaí é um poderoso energético, principalmente se servido com mel e granola. Fonte de proteínas, lipídios, fibra, cálcio, ferro, fósforo e vitaminas B1, B2 e C. É fonte ainda de antioxidantes que neutralizam os radicais livres prevenindo o envelhecimento precoce e doenças como câncer.

    Atenção: além de incluir no cardápio estes alimentos, é de extrema importância realizar refeições a cada 03 horas para evitar a queda de glicose no sangue e a falta de energia para o organismo!
    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...